A HÓSTIA CONSAGRADA ….O SANGUE DE CRISTO

digitalizar0013

Em São José do Garcia, Itaúna, 2004

Sobre a mesa da sacristia da Matriz de São José do Garcia, em Itaúna, foram encontradas duas âmbulas cheias de Hóstias e cobertas por véu. Duvidando o Pe. Sebastião de Faria Ramos se estavam ou não consagradas, colocou-as em um vidro grande, cheio de água, para que se desmanchassem.

Na Sexta-Feira da Paixão (09-04-2004), 25 dias depois, descobriu-se que a água e as Hóstias ficaram avermelhadas. Fez-se então um teste: encheu-se outro vidro de água com hóstias não consagradas: até hoje, este permanece branco.

Assim o padre levou o vidro com a água e as Hóstias avermelhadas para o senhor Bispo, que mandou fazer dois exames de laboratório, um em Divinópolis, outro em Belo Horizonte: ambos deram que eram sangue, “hemácias”!….Está tudo documentado com fotografias, em um Processo no Tribunal Eclesiástico da Diocese de Divinópolis.

Milagre? Certamente, um fato extraordinário, que faz a gente refletir sobre o que Deus qeur dizer com isto, com relação à Eucaristia: mais respeito e cuidado, mais adoração, mais fé, mais amor….

Atenção para o seguinte:

Estas hóstias avermelhadas não tem mais a presença real de Cristo, pois não conservam as aparências de pão…. Mas devem ser veneradas como “relíquias santas” de JESUS EUCARÍSTICO: são como sinais ou rastros de que JESUS ali esteve sacramentado!

Divinópolis, 18 de julho de 2004

Dom José Belvino do Nascimento